Sites Grátis no Comunidades.net
Crie seu próprio Site Grátis! Templates em HTML5 e Flash, Galerias em 2D e 3D, Widgets, Publicação do Site e muito mais!

NORMA METODOS DE ADMINISTRAÇÃO



Total de visitas: 76513
CUSTOS E PREÇOS DE VENDA

UM EXEMPLO DA FORMA PRATICA DE COMO ATUAMOS E COMO DESENVOLVEMOS NOSSOS TRABALHOS:

CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇO DE VENDAS

TABELA PRATICA

 

 

1 – Custos das mercadorias vendidas (CMV)

 

A base do calculo do Preço de Vendas do comércio deve ser o Custo de entrada das mercadorias recebidas (custo-prateleira) no ato do registro da NF de entrada, sendo:

 

Custo da Nota Fiscal (com descontos, embalagens e eventual deflacionamento por cálculos à parte), acrescentando os valores do frete e do IPI, e abatendo os créditos do ICM e do PIS/COFINS. Nas empresas tributadas no regime do SIMPLES (federal), e para as mercadorias e estados com legislações próprias  (isenções, antecipações de impostos, substituições tributárias etc), deverá haver um cálculo especifico. 

 

Na indústria, o CMV deve partir do Custo industrial, que abrange mão de obra calculada especificamente para cada tipo e unidade de produto, mais a matéria prima e componentes, quantificados para a unidade do produto e valoradas de acordo com o custo de entrada acima. São “despesas diretas”, diferentes das demais, “indiretas” que utilizaremos abaixo.

 

2 – Fórmulas de Cálculo do preço de vendas

 

Existem duas maneiras básicas de efetuar o cálculo do preço de vendas:

 

a)     Por dentro, ou de “cima para baixo”, onde todas alíquotas utilizadas  são baseadas na “receita da empresa” e aplicadas ao custo por divisão, para obter o preço.

 

PV(Preço de Venda)  =               Custo  x 100

                                  100 – (soma de alíquotas %s)

 

As alíquotas englobam:

- o ICM (débito, em 12, 17 ou 18% por exemplo),

- o PIS e o COFINS (encargos federais), e no caso do regime SIMPLES, alíquota do DAS

- o % de despesas indiretas da empresa (calculadas sobre a sua Receita),

 os %s de eventuais comissões e descontos

- os encargos financeiros e

- o lucro líquido desejado.

 

As alíquotas de impostos são relacionadas com o valor de venda do produto, e as demais, com a Receita ou faturamento da empresa. Empresas tributadas no regime de LUCRO PRESUMIDO devem incluir entre elas esse percentual (já aplicado sobre a base de cálculo) ficando assim o lucro desejado realmente liquido.

 

b)     Por fora, ou de “baixo para cima ” , onde todas alíquotas utilizadas  são baseadas na “CMV” total da empresa” (soma do custo direto de todas as mercadorias vendidas no período) e aplicadas ao custo por multiplicação, para obter o preço.

 

PV =  Custo x (100 + soma das alíquotas %s)

 

Onde as alíquotas deveriam ser todas relacionadas com o CMV, e daí a imprecisão desta forma de cálculo, já que o débito dos impostos  e o % das comissões e descontos são aplicáveis sobre o preço de venda (que é o que se pretende calcular). Despesas Indiretas e lucros podem ser efetivamente incidentes sobre o custo, (em uma outra proporção)  mas a despesa de comissão, por exemplo, incide sobre a venda.

 

 

3 – Fórmula mista:

 

Para corrigir essa imprecisão, a fórmula mais correta quando se quer calcular “por fora” ou “de baixo para cima” é:

 

PV(Preço de Venda)=      Custo  x (100 + % Lucro + % Desp.Indiretas)

                         100 – (soma de alíquotas %s de impostos, comissão, desc.)

 

 

 

 

Onde utilizamos o % de despesas indiretas (a ser obtido através de uma contabilidade gerencial)  e o % de lucros desejados,  sobre o Custo (CMV)   e as demais alíquotas sobre o valor da venda, conforme o primeiro critério acima.

A seguir, os seus passos:

-         Utilizar todos os recursos necessários para calcular o Custo-prateleira a cada compra (mais IPI e frete e menos créditos de impostos, conf.o  caso).

-         Acrescentar ao Custo prateleira o % de despesa indireta e o % do lucro desejado sobre o CMV na contabilidade gerencial.

-         Sejam os dados abaixo, num exemplo simplificado

 

Preço de Nota Fiscal                   =  100,00

IPI   a  10%                                  =   10,00

Frete a 3%                                   =     3,00

Crédito de ICM (– 12%)              =   12,00

Sub-total (custo/prateleira)          = 101,00

                     Despesa Indireta 64%                =     64,64

                           Lucro desejado (s/compra) 40% =     40,40                                         

                           Custo + despesas + lucro           =   206,04

 

As alíquotas de descontos previstos na venda, de comissões, de encargos financeiros (taxas de cartões de crédito, juros de vendas a prazo) seriam também acrescentadas aos “encargos sobre venda”, juntamente com os impostos:

Sejam no exemplo acima, comissão= 1%, desconto= 6% e ICM = 17%, PIS/COFINS = 3,65% e taxa do cartão de crédito = 3,35% (um só pagamento).

 

Preço de venda = (Custo + despesas + lucro) x 100 / (100 - % Impostos - % Comissões - % Descontos - % enc.financeiros)

                           =  206,04 x 100 / ( 100 – 1 – 6 – 17 - 3,65 - 3,35)

                              =  20604 / (100 – 31)

                              =  20604 / 69  =  298,61

 

Fazendo a “prova real” ou seja, “desmontando”o preço calculado:

 

Preço de venda =

298,61

298,61

(-) comissão – 1%

  2,99

 

(-) Desconto para aplicar s/venda

17,92 

 

(-) ICM, PIS e Cofins

61,66

 

(-) Encargo financeiro

10,00

 

Sub-total

 

206,04

(-) DESP. INDIRETA (valor acima)

  64,64

 

 

 

141,40

= Custo prateleira

 101,00

 

Lucro confirmado

 

40,40

             

No exemplo, tais números foram propositadamente exagerados para melhor demonstrar o esquema de cálculo.

 

5 – Vantagens desta fórmula 

 

-         Matematicamente, o preço assim calculado será menor pois se evita a reincidência dos % de despesas e de lucros sobre as alíquotas de impostos, comissões e descontos. “A empresa vende mercadorias e não impostos

 

-         Estrategicamente é mais fácil de informatizar, pois apenas um parâmetro pode flutuar mês a mês, e é geral.  Os demais parâmetros, como base de impostos, descontos e comissões – fixos no tempo - podem variar a cada grupo ou mesmo a cada produto, e devem constar do cadastro do produto.

 

 

6 – Tabela de multiplicadores

 

Para facilitar o entendimento das tabelas acima, usamos algoritmos (tabelas) onde transformamos todos os cálculos em coeficientes multiplicadorescomo o resultante do exemplo acima, que seria 2,9861.

 

Tais tabelas mantém fixos os %s de impostos, permitem variar os %s de despesas e as margens de lucro. Podem ser feitas conforme a necessidade da empresa:

-         com “Despesas” e “Lucro” sobre a venda (de cima para baixo)

-         ou com “Despesas”e “Lucro” sobre o custo (de baixo para cima)

Em ambas, parte-se do preço de compra da Nota Fiscal (ou custo de produção) e incorporam-se os cálculos dos juros aplicáveis sobre a venda.

-         ou ainda, outra, feita de forma mais prática, para permitir a negociação de prazos de pagamentos, a partir do preço de venda já definido.

Criar um Site Grátis   |   Crear una Página Web Gratis   |   Create a Free Website Denunciar  |  Publicidade  |  Sites Grátis no Comunidades.net